O Mágico de Oz, de L. Frank Baum

"Quando estava na metade do caminho, ouviu-se um grito fortíssimo do vento e a casa sacudiu com tanta força que Dorothy perdeu o equilíbrio e caiu sentada no chão. E então uma coisa muito estranha aconteceu. A casa rodopiou duas ou três vezes e começou a levantar voo devagar, Dorothy teve a sensação de que subia no ar a bordo de um balão."
Um ciclone atinge a casa onde Dorothy vive com os tios e ela e seu cachorro Totó são levados pela ventania e param na Terra de Oz. Por lá, Dorothy faz novos amigos - o Espantalho, o Lenhador de Lata e o Leão Covarde -, encara perigos, vive histórias fantásticas e precisa enfrentar seus próprios medos. Depois de tantas aventuras, a menina descobre que seus Sapatos de Prata têm poderes mágicos e podem levá-la para qualquer parte. Mas não existe melhor lugar no mundo do que a própria casa.


*** 

Publicado em 1900, O Mágico de Oz é o primeiro livro em uma série com mais de quarenta a trazer as aventuras vividas na fantástica terra de Oz. Aqui conhecemos a garotinha Dorothy Gale que, após a passagem de um ciclone pelo Kansas, é transportada junto com sua casa e seu cãozinho Totó para Oz. Mais precisamente, para o país dos Munchkins. 

Sua chegada abrupta acabou por libertar esse povo do domínio da Bruxa Má do Leste e, agradecidos, os Munchkins enxergam em Dorothty uma amiga. Na ocasião, a menina também conhece uma bruxa boa, que lhe explica que não pode lhe ajudar a voltar para casa, mas que talvez o Grande Mágico de Oz possa resolver o problema. Assim, Dorothy parte com Totó na direção da Cidade das Esmeraldas. Em sua jornada, ela irá conhecer o Espantalho, o Lenhador de Lata e o Leão Covarde. Juntos, eles lutarão contra inimigos, enfrentarão obstáculos e, claro, irão viver muitas aventuras.

O Mágico de Oz é uma daquelas histórias que de uma forma ou outra, a gente acaba conhecendo. Por já ter assistido ao filme musical clássico algumas vezes, parte do brilho da história se perdeu para mim durante a leitura, mas ainda assim, gostei muito de ter conhecido a história original. Não só por notar as diferenças presentes na adaptação, mas também por perceber como é rico o universo criado por L. Frank Baum.

A partir da leitura, o que mais me fascinou é como a Terra de Oz é grande. Adorei conhecer os diferentes países e perceber como todos são marcados por uma determinada cor. Da mesma forma, achei bem curioso descobrir as diferentes criaturas que vivem por lá, como as pessoas do País de Louça e os Macacos Alados. Outro ponto que achei bem legal é que aqui, conhecemos um pouco mais do passado dos amigos de Dorothy e acho que a minha história preferida é a do Lenhador de Lata. Ainda nas diferenças, fiquei meio chocada ao descobrir que os sapatinhos da Dorothy não são vermelhos no livro. E a Bruxa Má do Oeste não é verde! Na verdade, a personagem tem motivações bem diferentes na história original. 

Na introdução, L. Frank Baum explica que não queria escrever uma história para crianças que tivesse o intuito de educar e trazer uma moral da história. Sua intenção era contar uma história que divertisse e, na minha opinião, ele conseguiu fazer isso muito bem. Agora, fiquei com vontade de conhecer as outras histórias de Oz. Uma pena que aqui no Brasil elas ainda não tenham sido publicadas. Ainda assim, recomendo bastante a leitura do primeiro livro.


★★★

Nenhum comentário